domingo, 11 de abril de 2010

Relação Professor - Aluno


"Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa." - ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY
A cada dia aprendo mais sobre a tarefa de ser educador. A constante busca em aprimorar e ser melhor no que faço (já que foi uma escolha minha e não uma imposição ou falta de alternativa), me leva a ter dúvidas em determinados momentos, quando cada vez mais as escolas negligenciam condições e recursos adequados ao atendimento das necessidades de professores e alunos. Por muitas vezes cheguei a duvidar do meu real valor, se realmente estaria preparada para aquilo, mas é quando sou elogiada, respeitada é que vejo que o valor que tanto tento ensinar a meus alunos é bem recebido. Minhas forças são renovas e a vontade de ensinar cresce cada vez mais, é através de relatos como esses que me sinto recompensada. Relato de um ex-aluno: " Professora, quando a senhora foi trabalhar no C.N. era maior GRINGA, poo mas quando tu me dava uma trava eu ficava namoral com os soutros professores jaah nao gostava teve dois que eu ate descuti e xingueii eles !" (Ex-aluno do 1º ano do E.M.); Jônatas diz: "tbm gostei muito de tii .. vc foi uma das poucas professoras q marcaram minha vida na escola ...e q tenho vontade de manter o vinclu de amizade... vc é uma otima professora.. pq alem de ter akela amizade, das brinkadeiras .. nao deixa cair o respeito..." (Ex-aluno do 2º ano do E.M.); Mary diz: "...de todas as prof que ja tive a senhora no primeiro dia de aula já foi a melhor de todas elas juntas" (Ex-aluna 7ºano E.F.).
"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez a tua rosa tão importante." Com esta frase de Saint-Exupéry defino bem a RELAÇÃO PROFESSOR-ALUNO, pois é a medida que nos dedicamos a ensinar (que fique claro aqui, que não estou falando de métodos educacionais, mas sim de algo mais amplo, a relação entre seres humanos, esta difícil em qualquer ambiente) somos recompensados com respeito e carinho.
Não que o professor tenha que ser amigo de seus alunos, pois essa não é sua tarefa, mas cativar um aluno é consequência do resultado do seu trabalho. Minha preocupação sempre foi ensinar, e ensinar bem. Aquilo que eu me propuz a fazer, faze-lo bem!
"O que significada isso – cativar?"
"É uma coisa que as pessoas freqüentemente negligenciam", disse a raposa. "Significa estabelecer laços"
Em uma rápida ilustração fica fácil entender essa relação, através do diálogo entre o Pequeno Príncipe e a Raposa:
A raposa olhou fixamente para o Pequeno Príncipe durante muito tempo e disse: "Por favor cativa-me."
"O que eu devo fazer para cativar você?" perguntou o Pequeno Príncipe.
Você deve ser muito paciente". Disse a raposa. "Primeiro você vai sentar a uma pequena distância de mim e não vai dizer nada. Palavras são as fontes de desentendimento. Mas você se sentará um pouco mais perto de mim todo dia."
E assim o Pequeno Princípe cativou a raposa...
Disse a raposa: "E agora eu vou contar a você um segredo: nós só podemos ver perfeitamente com o coração;
o que é essencial é invisível aos olhos. Os homens têm esquecido esta verdade. Mas você não deve esquecê-la. Você se torna eternamente responsável por aquilo que cativa."
(Saint-Exupéry)

quinta-feira, 8 de abril de 2010

MAKTUB - مكتوب


وقد كتب بالفعل
في الزمان والمكان
أن روحي وخاصتك
لن يكون هناك ضوء

وقد كتب بالفعل
لآلاف السنين
هذه النار المقدسة من العاطفة
سونسوميرياموس

شمس الصحراء
حرق الرمال
وجودكم هو الماء
الحفاظ على الحياة

الحمامة البرية
أزرق الروح
حبك هو ضوء
تضيء والستائر

وقد كتب بالفعل
والله يعلم
سحر الأفعى من الحب
من شأنه أن يجعل منا آلهة

وهو مكتوب
قبل العصر
أن الحياة يستحق فقط
عندما الحب اللمسات لنا

sábado, 3 de abril de 2010

A Evolução da Educação...

Antigamente se ensinava e cobrava tabuada, caligrafia, redação, datilografia... Havia aulas de Educação Física, Moral e Cívica, Práticas Agrícolas, Práticas Industriais e cantava-se o Hino Nacional, hasteando a Bandeira Nacional antes de iniciar as aulas...
Hoje se um aluno resolve pichar a sala de aula e a professora faz com que ele pinte a sala novamente, os pais ficam enfurecidos pois a professora provocou traumas na criança.
Onde os valores estão distorcidos e a educação não tem mais valor, um professor é acusado de ter arremessado um apagador contra uma estudante de 11 anos na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio. A agressão teria sido motivada pelo falatório de um grupo de alunos na sala de aula. O caso foi parar numa delegacia. Chorando e com uma marca vermelha no rosto, a menina procurou a direção da escola, que entrou em contato com a mãe dela. Depois de a mãe da criança chegar à escola com sua patroa, uma advogada, o caso seguiu para a 37ª Delegacia de Polícia, na própria Ilha. ``Durante depoimento, o professor admitiu que jogou o apagador na menina porque ela não parava de falar. Ele disse que não tinha intenção de agredi-la, já que o apagador é leve. E, que queria apenas dar um susto na aluna e em seus colegas``, afirmou a delegada titular da 37ª DP. O professor já foi autuado pelo artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e pode sofrer até dois anos de prisão. Mas, ele vai responder em liberdade.

Tenho certeza absoluta que esse professor não acertou a cabeça desse santo aluno de forma deliberada, possam procurar (investigar) de forma equilibrada os verdadeiros acontecimentos e certamente irão inocentar a atitude do mestre, até mesmo esse poderá ter um acesso de intolerância às traquinagens do seu aluno.
A falta de condições e recursos adequados ao atendimento das necessidades onde professores e alunos vivem momentos de ansiedade, resistência e instabilidade emocional, a tolerância, a flexibilidade e o planejamento refletem o contexto do sistema formal da educação.

Em 1969 os Pais do aluno perguntavam ao "aluno": "Que notas são estas...???
Em 2009 os Pais do aluno perguntam ao "professor": "Que notas são estas...???


Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive... Sendo assim seus atos e atitudes são reflexo do que lhe foi ensinado em casa, muito antes de frequentar uma escola e passar a receber a receber uma educação formal.
Como Doroty, em o Mágico de Oz, a vontade é destruir a bruxa má do leste (aqui, a intolerância de pais e alunos que muitas vezes só querem seus DIREITOS mas esquecem que devem cumprir seus DEVERES), calçar os sapatos e repetir: "Não há lugar melhor que o nosso lar..." então a educação irá voltar ao que era?

Essa pergunta foi vencedora em um congresso sobre vida sustentável.
"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos...
Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"

sexta-feira, 2 de abril de 2010

O professor de hoje!!!


Três macacos
Se preciso for
me tapar os ouvidos,
eu tapo..
Se preciso for
me fechar os olhos,
eu fecho..
Se preciso for
me calar a boca,
eu calo..
Se preciso for
me parar o coração,
eu paro..
Só não permito
me castrar os sonhos
que tenho...
Oswaldo Antônio Begiato

Três Macacos Sábios, cujas estátuas estão localizadas na entrada do Estábulo Sagrado, um templo do século XVII localizado no Santuário Toshogu, na cidade de Nikko, Japão. Seus nomes são mizaru (o que cobre os olhos), kikazaru (o que tapa os ouvidos)e iwazaru (o que tapa a boca). O sufixo zaru presente nos nomes está ligado a negação. Em japonês macaco se escreve saru. A semelhança entre os sons das palavras levou ao surgimento das estátuas. A forma física de um trocadilho! Seu significado é traduzido como: "Não ouça o mal, não fale o mal e não veja o mal." De certa forma significa que se os homens não enxergassem, ouvissem ou falassem o mal ele simplesmente não existiria. Assim sendo, SE O PROFESSOR NÃO OUVE O MAL, NÃO FALA O MAL E NÃO VÊ O MAL, (DE SEUS ALUNOS) ELE GARANTE SEU EMPREGO!!!